Categoria: Destaque, Meio Ambiente

Você sabe como é composta a ecologia do Vale do Paraíba?

Engenheiro ambiental explicou à SP RIO+ como se deu o desmatamento histórico na região

Matheus Andrade/SP RIO+ • Publicado em 2/07/2022, às 8:10 • Atualizado em 2/07/22, às 10:51




Rio Paraíba do Sul, que dá nome à nossa região metropolitana – Foto: Divulgação/CETESB

Embora o Vale do Paraíba seja majoritariamente conhecido por sua importância tecnológica e industrial, a região é muito rica ecologicamente. Favorecido pelo Rio Paraíba do Sul, um dos mais importantes do país, o complexo possui reservas naturais e redutos de Mata Atlântica.

Em entrevista à SP RIO+, o diretor do Caeb (Centro Ambiental Edoardo Bonetti) e engenheiro florestal Rogerio Romero Mazzeo explicou que até mesmo o nome da região já remete à essa importância ambiental.

A entrevista na íntegra está disponível abaixo.

“Vale do Paraíba. Só com esse nome a gente já consegue imaginar. É um vale porque nós estamos entre duas serras e isso gera um monte de nascentes. Até o nome da Serra da Mantiqueira, que é a mais famosa que a gente tem aqui, é Amantikir – serra que chora. E toda essa água que é drenada vai para um vale. Como a gente chama, Vale do Paraíba, devido ao Rio Paraíba do Sul”, explicou.

Para o engenheiro, o rio que beneficia a região pode ser considerado um dos mais importantes do Brasil devido ao tamanho da população que ele abastece.

Sua nascente fica na serra da Bocaina, no município de Areias (SP), mas seu curso de água banha não somente o estado de São Paulo, como também os do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Seu percurso total, até a foz em São João da Barra (RJ), é de 1.137 km.

“A gente causa influencia na vegetação que a gente tem aqui. E a vegetação, por si, já causa uma influência nos animais e em toda a ecologia que a gente tem aqui”, disse.

Leia também: Religiosa explica possível graça de Madre Maria Teresa, personalidade do período sanatorial de São José dos Campos

Rogerio Romeiro explica como é formado o bioma do Vale do Paraíba – Foto: Reprodução/YouTube

Biomas

Principal polo econômico da região, São José dos Campos é a cidade que dá ao Vale a fama de potência industrial. O que é pouco conhecido é a etimologia desse nome. O termo “campos” remete ao cerrado, o bioma que prenominava antes da industrialização.

“Cerrado é a vegetação original aqui da nossa região, grandes trechos de onde é hoje a área urbana da cidade. A gente tem que trazer isso mais à tona, deixar esse conhecimento mais vivo para a população. E também buscar criar um conceito, principalmente nas gerações mais novas, de que a natureza é uma coisa importante”, refletiu o engenheiro florestal.

Destruição da Mata Atlântica

Para entender o processo de devastação que o Vale do Paraíba passou ao longo dos anos, é necessário relembrar a história. A região tem sua importância econômica desde a rota do ouro de Minas Gerais na era colonial, passando pelo avanço dos cafezais, da pecuária leiteira até a expansão urbana.

Um mapa desenvolvido e divulgado pelo Instituto Florestal estima como foi a destruição da Mata Atlântica ao longo dos anos. Segundo os dados, esse processo começou no Vale do Paraíba.

“Hoje, o que a gente tem são vários pedaços que sobraram, que a gente chama de fragmentos florestais. Esses fragmentos, dentro da medida do possível, precisariam ser ampliados e conectados”, frisou Rogerio Romero.

Leia também: Pesquisa de doutorado em São José desenvolve video game para ajudar na reabilitação de pacientes neurológicos

Parque Natural Augusto Ruschi, em São José dos Campos, principal Unidade de Conservação de Proteção Integral do Município – Foto: PMSJC

Como restaurar?

Conforme o engenheiro florestal explicou, há duas formas de recuperar o bioma na região. A primeira é isolando uma determinada área do gado, que, apresar de ter sua importância econômica e alimentícia, impede o crescimento de floresta devido compactação do solo ocasionada pela sua pisada.

“É muito difícil você conseguir plantar uma floresta com o gado passando ali. Então a gente isola a área. Se tiver trânsito de bichos que tragam sementes, a gente pode só deixá-los isolado e a floresta vai regenerar sozinha”, explicou.

A segunda forma é mais direta e acessível ao público.

“Ou então a gente pega a semente, faz a muda e planta as árvores, que vão criar uma estrutura para, no futuro, virar uma floresta. São os métodos mais comuns”, disse.

Segundo o especialista, o trabalho de restauração florestal também favorece a fauna original que ainda vive na região.

“Quanto mais, melhor para conectar essas áreas. Para que uma onça que está no fragmento A possa encontrar com um grupo de onça do fragmento B”, explicou.

Confira a entrevista na íntegra:

 



Acompanhe nossas notícias de forma mais rápida em seu celular pelo Google News. Clique aqui e siga a SP Rio +.


Deixe seu comentário:
Os comentários não representam a opinião da SP Rio +. A responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas noticias
Cidades

Loa 2023 de São José dos Campos começa a ser discutida hoje

Começa a ser discutida nesta terça-feira (16) a série de sete audiências públicas para a elaboração da Loa 2023 de …

15 horas atrás
Esporte

São José Wrestling conquista 27 medalhas nacionais neste final de semana

A equipe São José Wrestling conquistou mais de 27 medalhas nas quatro competições da modalidade disputadas em Brasília, neste final …

20 horas atrás
Colunas, Economia, Mais Destaques

Brasil terá moeda digital própria a partir de 2023, entenda a novidade

Os cheques desapareceram há anos, são poucos os que andam com dinheiro vivo atualmente e até mesmo os cartões de …

21 horas atrás
Esporte, Mais Destaques

Novo presidente do EC Taubaté toma posse

Uma nova história começa a ser escrita! Hélio Marcondes Neto tomou posse na noite desta segunda-feira (15) como novo presidente …

22 horas atrás
Destaque, Economia

Gasolina da Petrobras vai ficar R$ 0,18 mais barata no Vale do Paraíba

A gasolina vai ficar R$ 0,18 mais barato nas distribuidoras da Petrobras, a partir desta terça-feira (16). O reajuste foi …

2 dias atrás
Cidades, Mais Destaques

Emissão on-line dos carnês do ISS de Caraguatatuba começam hoje

Começou a ser emitido de forma on-line, nesta segunda-feira (15), os carnês de ISS (Imposto Sobre Serviços) Fixo e das …

2 dias atrás
Cidades, Mais Destaques

Inicio da cobrança da taxa ambiental em Ubatuba é adiada pela terceira vez

Foi adiado pela terceira vez o início da cobrança da taxa ambiental em Ubatuba. A taxa iria ser obrigatória a …

2 dias atrás
Esporte, Linha de Frente

Os patrocínios que marcaram o futebol brasileiro

‘A propaganda é alma do negócio’. Para o futebol, essa frase tem um significado muito mais do que de vendas, …

3 dias atrás
Cidades, Colunas, Mais Destaques

Cafés em SJC que você precisa conhecer

São José dos Campos possui ótimas opções gastronômicas, com lugares perfeitos para todos os gostos e ocasiões. Restaurantes, bares, pubs …

3 dias atrás
Cidades

ONG Chico Pata de Taubaté realiza feira de adoção de animais neste sábado

A ONG Chico Pata, de Taubaté, irá realizar neste sábado (13) uma feira de adoção de cães e gatos abrigados …

4 dias atrás